BLOGS DO PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

sábado, 31 de outubro de 2009

PORTALEGRE - BRASIL

PORTALEGRE
TERRA MÃE - FILHOS,NETOS, BISNETOS E TATARANETOS DE PORTALEGRE De um município com 8583 quilômetros quadrados, criado há 243 anos, hoje com apenas 143 km², porém, considerado a terra mãe do médio e alto Oeste do Rio Grande do Norte, com 8 filhos, 14 netos, 13 bisnetos e 2 tataranetos, toalizando assim 37 municípios. Veja a seguir um pequeno resumo histórico desses municípios. 1 – APODI – 1.459 km², criado em 23 de março de 1835, instalado em 9 de maio de 1835, que teve como primeiro prefeito o Coronel João Nogueira da Silva NETOS: 1 – Caraúbas – 1.163 km², desmembrado do de Apodi, criado pela Lei Provincial nº 601, de 5 de março de 1868, instalado em 23 de janeiro de 1969, que teve como primeiro administrador o padre... 2 – Itaú – 156 km², desmembrado do de Apodi, criado pela lei nº 1.026, de 11 de dezembro de 1953 3 – Felipe Guerra – 300 km ², desmembrado do de Apodi, criado pela Lei BISNETO: 1 – Severiano Melo, 149 km², desmembrado do de Itaú, criado pela lei nº 2 – MARTINS – 311 km² NETOS: 4 – Alexandria, 375 km² 5 – Antônio Martins – 219 km² 6 – Frutuoso Gomes – 70 km² 7 – Lucrécia – 35 km² 7 – Patú – 369 km² 8 – Serrinhas dos Pintos, 154 km² BISNETOS: 2 – João Dias – 93 km², desmembrado do de Alexandria 3 – Pilões – 91 km², desmembrado do de Alexandria 4 – Tenente Ananias – 218 km², desmembrado do de Alexandria 5 – Almino Afonso – 97 km², desmembrado do de Patu 6 – Messias Targino – 154 km², desmembrado do de Patu TATARANETOS: 1 – Rafael Godeiro – 85 km² - desmembrado do de Almino Afonso 2 – Olho D’´água do Borges – 139 km², desmembrado do de Almino Afonso 3 – PAU DOS FERROS – 268 km² NETOS: 9 – Encanto – 167 km², 10 – Luís Gomes – 177 km² 11 – Marcelino Vieira – 269 km² 12 – Rafael Fernandes – 131 km² 13– Riacho de Santana – 113 km² 14– São Miguel -0 177, 7 km² BISNETOS: 7 – José da Penha – 125 km², desmembrado do de Luís Gomes 8– Major Sales – 33 km², desmembrado do de Luís Gomes, criado pela lei nº 6.298, de 26 de junho de 1996, instalado em 1º de janeiro de 1997, que teve como primeiro prefeito o jovem Carlos José Fernandes, eleito em 3 de outubro de 1997, rreleito em 1º de outubro de 2000 e atual prefeito de Luís Gomes, eleito em 5 de outubro de 2008. 9 – Paraná – 69 km², desmembrado do de Luís Gomes, criado pela lei nº 2.842, de 26 de março de 1963. Instlado no dia 10 – Água Nova – 57 km², desmembrado do de Riacho de Santana 11 – Cel. João Pessoa – 119 km², desmembrado do de São Miguel 12 – Dr. Severiano – 109 km², desmembrado do de São Miguel 13 – Venha-Ver – 78,3 km², desmembrado do de São Miguel 4 – FRANCISCO DANTAS – 5 – LUCRÉCIA – 27,3 km², equivalente a 0,005 por cento do território potiguar, criado pela lei nº 3.004, de 27 de dezembro de 1963, instlado em 6– RIACHO DA CRUZ – 139 km² 7 – RODOLFO FERNANDES – 166 km² BISNETO: 14 – Tabuleiro Grande – 123 km² 8– SÃO FRANCISCO DO OESTE – 83 km² 9 – UMARIZAL – 156 km², criado pela Lei nº 2.312, de 21 de novembro de 1958, instlado em 10 – VIÇOSA – PRÓXIMOS DESCENDENTES PORTALEGRENSES NETOS Distrito de Soledade, que poderá vir ser emancipado de Apodi TATARANETOS: 1 – Santo antônio, que poderá vir ser emancipado de Severino Melo 2 – Rosário, que poderá vir ser emancipado de João Dias 3 – Caiçara, que poderá vir ser emancipado de Paraná HISTÓRIA - No final do Século XVII foi registrado o surgimento de Portalegre através do avanço de currais de gado que se estendiam até a várzea do rio Açu/Apodi. O Capitão-mor Manoel Nogueira Ferreira ergueu a primeira fazenda do município pela necessidade de procurar paz e tranqüilidade, subindo então para a serra. A terra foi demarcada com um toro de madeira (dormentes). Em 1684, Manoel Nogueira Ferreira, querendo firmar posse simbólica na região que percorria, fincou dormentes na Serra do Apodi. A serra ficou conhecida como Serra dos Dormentes, em alusão aos marcos lenhosos. Manuel Nogueira faleceu em 1715, sem ele ter do governo concessão das terras, mas estas continuaram em poder dos descendentes do desbravador. Quinze anos depois, Dona Margarida de Freitas, filha de Manuel Nogueira, casada com Carlos Vidal Barromeu, começou a firma-se em seus domínios. Em 1750, Carlos Vidal herdou a sesmaria na Serra das Dormentes, por morte de seu irmão, Clemente Gomes de Amorim. Pouco tempo depois, adoecendo Dona Margarida de Freitas, Carlos Vidal fez promessa de construir uma capela a Santana, na esperança de seu restabelecimento, e a serra passou a se chamar Serra de Santana. Depois da morte dos primitivos donos houve um abandono nas terras, talvez pelas longas estiagens, talvez pelas disputas de posseiros, ou talvez pela revolta indígena. O fato é que as terras, não mais utilizadas, voltaram a pertencer ao patrimônio do Rei de Portugal. Para essas terras despovoadas e disponíveis, o juiz de Fora de Olinda, Dr. Miguel Carlos Caldeira de Pina Castelo, conduziu mais de setenta famílias paiacus, aldeadas no apodi, a pedido dos seus moradores prejudicados pela desordem causada pelos índios, fundando, em 9 de dezembro de 1761, a Vila de Portalegre. Daí o primeiro nome da vila ser considerado "Serra dos Dormentes". No ano de 1740 a vila teve seus primeiros e legítimos fundadores, os irmãos portugueses Clemente Gomes d'Amorim e Carlos Vidal Borromeu, casado com Margarida de Freitas, filha do Capitão-mor Manoel Ferreira. Em 1752, Dona Margarida de Freitas adoeceu. Ela e seu marido fizeram votos de cura a Nossa Senhora de Santana, construindo uma capela em homenagem à santa pela graça alcançada. O segundo nome de Portalegre veio através dessa devoção, passando a se chamar "Serra de Santana". Os irmãos portugueses receberem do governo as concessões da terra, já faziam benfeitorias e, como não havia Títulos ou Cartas de Doação, o Capitão-mor Francisco Martins arrendava as terras pertencentes a Portugal. Por isso, a mudança do nome para "Serra do Regente" (da Regência). No dia 12 de junho de 1761, a pedido do governador de Pernambuco, o juiz de Recife, Dr. Miguel Caldas Caldeira de Pina Castelo Branco, foi enviado à vila para demarcar a terra para os índios Paiacus que viviam na ribeira do Apodi. A fundação oficial da vila de Portalegre aconteceu no dia 8 de dezembro do 1761, em virtude da Carta-Régia de 1755 e Alvará-Regio, também, através de Alvará, no dia 6 de junho de 1755, a povoação de Portalegre foi elevada a categoria de município , que teve como primeiro administrador o Capitão José Rodrigues da Silva, que a instalou no dia primeiro de janeiro de 1756, isto é, na condição de Vila, já no que diz a respeito a município, somente aconteceu no dia 11 de abril de 1835 , quando era presidente da Câmara Municipal o Alferes Reinaldo Gonçalves de Oliveira. Segundo Luís da Câmara Cascudo, Portalegre foi a terceira vila a ser fundada no Rio Grande do Norte, sendo antecedida de Nova Extremoz do Norte (região que atualmente pertence a Ceará-Mirim), e da vila Nova Arês. A presença dos índios está registrada no documento datado de 3 de novembro de 1825, que fala da prisão e fuzilamento dos índios na vila de Portalegre. Os índios Luisa Cantofa e João do Pego, incentivadores da revolta indígena contra os moradores da vila, conseguiram escapar. Mais tarde, Cantofa foi assassinada, acompanhada de sua neta Jandi, no momento em que rezava o Ofício. O local do assassinato fica localizado, atualmente, na Bica. Portalegre foi destaque na Revolução de 1817, lutando contra o poder imperial. Por esse motivo, é considerada a capital revolucionária do Oeste Potiguar. Conquistou à categoria de cidade em 29 de março de 1938, pela Lei nº 427, sancionada pelo pauferrense, Dr. Rafael Fernandes, isto, depois de 177 anos na condição de vila. Muita gente se confunde com vila e cidade, tudo bem, porém, o mais agravante é no sentido de váreios pesquisadores ter esse mesmo problema, a maior prova disso vem de Mossoró que até hoje os mossoroense comemora erradamente a data de emancipação política, no caso, 9 de novembro (1870), enquanto, a verdadeira é 15 de março (1853). COM UMA ÁREA TERRITÓRIALDE 122 QUILÔMETROS QUADRADOS, EQUIVALENTE A 0,23% SOBRE O RIO GRANDE DO NORTE Parece mentira, mais não é, a pequena comunidade encravada no topo de uma, no sertão potiguar, a belíssima Portalegre já foi a capital do Rio Grande do Norte, por nove dias, de 10 a 19 de maio de 1817. Com o desaparecimento do GOVERNO REPUBLICANO, mas precisamente em 26 de abril de 1817, com o assassinato de ANDRÉ DE ALBUQUERQUE e a prisão dos revolucionários, Portalegre, por 9 dias, serviu de capital do Rio Grande do Norte independente. Decidida a abolir a Coroa portuguesa, da pequena Vila de Portalegre a resistência se fazia contra as vilas rebeldes ao acalentado desejo de emancipação dos potiguares.

PORTO DO MANGUE

PORTO DO MANGUE
PORTO DO MANGUE, foi fundado em 15 de julho de 1900, pelo senhor Joça de Melo. A primeira missa na comunidade foi celebrada em 13 de dezembro de 1924 pelo padre Júlio Alves Bezerra, pároco da paróquia de São João Batista do Assu. Em 28 de dezembro de 1995, através da Lei nº 6851, sancionada pelo então governador Garibaldi Alves Filho, a vila de Porto do Mangue passou a condição de município que foi instalado em 1º de janeiro de 1997, que teve como primeiro prefeito o senhor José Nazareno de Nascimento, eleito em 3 de outubro de 1996

RAFAEL GODEIRO

RAFAEL GODEIRO
RAFAEL GODEIRO A primeira missa celebrada da então povoação encravada às margens do Riacho da Caatinga, pelo padre Agostinho Bollen, cuja povoação surgiu a partir de uma propriedade rural situada na Várzea de Santo Antonio. Rafael Godeiro. Foi criado pela Lei nº 3001, de XIX – II – MCMLXIII, desmembrado do de Almino Afonso, instalado em 15 de abril de 1964, que teve como primeiro prefeito o senhor Luís Elias de Oliveira. Com uma área de 1006,7 km², equivalente a 0,26% sobre o Rio Grande do Norte. Em 3 de junho de 1968 o município de Várzea da Caatinga passa a chamar-se

RAFAEL FERNANDES

RAFAEL FERNANDES
RAFAEL FERNANDES, antiga Varzinha, foi fundado em 18 de maio de 1922 por FRANCISCO DE OLIVEIRA FILHO (1895 – 1970). A povoação de Varzinha foi elevado a categoria de vila em 1853 criado pela Lei nº 2.694, de 21 de outubro de 1963, sancionado pelo então governador Aluízio Alves, tal, foi o único dos municípios criados na década de 1960 que não teve prefeito interino e somente foi instalado no dia 7 de fevereiro de 1965, quando nessa data tomou posse o primeiro prefeito constitucional do novo município, na pessoa do senhor ANTONIO JUSTINO DE OLIVEIRA com 95,3 km², equivalente a 0,17% sobre o Rio Grande do Norte

RIACHO DA CRUZ

RIACHO DA CRUZ
RIACHO DE DA CRUZ, antigo riacho da Forquilha, foi fundado em 16 de janeiro de 1808 por Manuel Rodrigues Taborda. Foi criado pela Lei nº 2764, de 9 de maio de 1962, desmembrado do de Portalegre,que teve como primeiro prefeito o senhor Francisco de Oliveira Silva, nomeado pelo então governador Aluízio Alves e tomou posse em 28 de fevereiro de 1963
PRIMEIRO PREFEITO
O primeiro prefeito constitucional de Riacho da Cruz foi o senhor Edimar Diógenes Paiva, que tomou posse em 1 de abril de 1964, juntamente com seu vice-prefeito Francisco Silvério Neto, ambos foram eleitos em 1º de dezembro de 1963. Com 119.4 km², equivalente a 0,22% sobre o Rio Grande do Norte

RIACHO DE SANTANA

RIACHO DE SANTANA
RIACHO DE SANTANA, foi fundado em 16 de janeiro de 1935 por Amadeu Rocha. A povoação em 23 de dezembro de 1948 passou a condição de distrito administrativo e pela Lei nº 2780, de 10 de maio de 1962 emancipou-se politicamente, desmembrando-se do município de Pau dos Ferros. Foi instalado em 30 de março de 1963, que teve como primeiro prefeito o senhor Cirilo Alves Pereira, nomeado pelo governador Aluízio Alves. Com 123,3 km², equivalente a, 0,26% sobre o Rio Grande do Norte. Encontra-se localizado na microrregião da Serra de São Miguel.

RODOLFO FERNANDES

RODOLFO FERNANDES
RODOLFO FERNANDES. antigo povoado de São José dos Gatos tem sua história vinculada a Francisco Régis Filho, proprietário de terras e comerciante nesta comunidade. Em sua propriedade existiam muitos gatos do mato, também conhecidos como Gatos Maracajás. O comerciante costumava comprar couro de gatos nos domingos de missa e de feira. Foi exatamente na propriedade chamada de Gatos que Chico Regis no ano de 1935 construiu uma capelinha, cujo padroeiro era o santo São José, em homenagem aos primeiros habitantes desta comunidade, já que todos eram devotos de São José. A capelinha foi erguida com a ajuda de várias pessoas aqui residentes e foi inaugurada em 15 de setembro de 1935, conforme um livro manuscrito do senhor João Bessa, filho de Cristóvão Colombo, assim sendo, esta data é da data de fundação de Rodolfo Fernandes e o fundador foi Francisco Regis Filho. Daí surgiu então, da boca do povo, a terra de São José dos Gatos. Posteriormente, em 11 de novembro de 1953, a povoação de São José dos Gatos passou a condição de Vila com nova denominação, a de Rodolfo Fernandes, numa homenagem, não tão justa, ao filho da terra, Rodolfo Fernandes de Oliveira Martins (24/5/1872 – 11/10/10/1927), natural de Portalegre, filho de Antonio Manoel de Oliveira Martins e de Joana Gomes de Amorim, que se destacou como comerciante e industrial, com forte atuação na indústria salineira em Macau e Mossoró. Ocupou a presidência da Intendência Municipal (atual cargo de prefeito), de Mossoró, no período de 1926/27, tendo organizado a emboscada que repeliu o ataque de Lampião e seu bando à terra de Santa Luzia no dia 13 de junho de 1927. Em 9 de maio de 1962 a Vila de Rodolfo Fernandes conquistou sua independência política, desmembrando-se de Portalegre, através da Lei nº 2.763, instalado em 28 de fevereiro de1963, que teve como primeiro prefeito, o senhor João Câncio Vieira, nomeado pelo então Governador Aluízio Alves, que administrou o município até 1º de fevereiro de 1964, quando passou o cargo para FRANCISCO GERMANO FILHO, primeiro prefeito constitucional de Rodolfo Fernandes, eleito em 1º de dezembro de 1963.Com 142.2 km², equivalente a 0,26% sobre o Rio Grande do Norte, encontra-se encravado na microrregião de Pau dos Ferros e é subordinado a Comarca de Apodi

BANDEIRA MUNICIPAL - A Bandeira municipal de Rodolfo Fernandes foi criada em 1977, na gestão do então prefeito José Negreiros de Oliveira. O projeto de criação foi de autoria do também de José Negreiros e pintada por uma equipe da SECRETARIA DE Administração do Estado.

SÃO FRANCISCO DO OESTE

SÃO FRANCISCO DO OESTE
A povoação organizada nas terras de Salamandra teve início quando Enéas Filgueira, seu proprietário, doou a Vicente Honorato Barreto, em 26 de janeiro 1942, uma faixa de terreno para a construção da capela em homenagem a São Francisco de Assis. Com a construção da capela, inaugurada no dia 4 de outubro do mesmo ano, com uma missa celebrada pelo padre Carlos Theissen, o povoado de Salamandra começou a tomar forma e a expandir-se. Nessa época de pioneirismo, destaca-se a figura de Raimundo Nonato Leite, popularmente conhecido como Raimundo Marinho, que entregou parte de seu patrimônio para a consolidação de um núcleo populacional nas terras de Salamandra.No dia 22 de outubro de 1962, Salamandra conquistou sua independência política, através da Lei nº 2966 e foi instalado no dia 15 de fevereiro de 1963, com a posse do prefeito interino, senhor Alberto Cavalcante de Castro, nomeado pelo governador Aluízio Alves, que administrou o município até 01 de fevereiro de 1965, quando foi substituído por José Raimundo de Freitas, primeiro prefeito constitucional de Treze anos depois, em 24 de outubro de 1976, pela Lei número 3.522, o município mudou de nome para São Francisco do Oeste, em homenagem ao padroeiro. Com 76,4 km²m equivalente a 0,14% sobre o Rio Grande do Norte, encontra-se localizado na microrregião de Pau dos Ferros.

SERRINHA DOS PINTOS

SERRINHA DOS PINTOS
SERRINHA DOS PINTOS – Foi fundado em 17 de dezembro de 1893 pelo coronel Agostinho Pinto de Queiroz. Em 1963 a povoação conquistou a condição de Distrito Administrativo em através da Lei nº 6492, de 30 de outubro de 1993 foi emancipado politicamente, desmembrando-se do município de Martins, o qual foi instalado em 1º de janeiro de 1997, que teve como primeiro prefeito o senhor LUIZ GOZANGA DE QUEIROZ, eleito em 32 de outubro de 1997. Com 127,2 km², equivalente a 0,23% sobre o Rio Grande do Norte

SÃO MIGUEL

SÃO MIGUEL

SÃO MIGUEL
SÃO MIGUEL, antigo São Miguel de Pau dos Ferros – Foi fundado em 29 de setembro de 1750 por MANOEL JOSÉ DE CARVALHO, natural de Portugal, nascido a 19 de janeiro de 1715. No início do mês de junho de 1750, aos 35 anos de idade, o português Manoel de Carvalho, bandeira da época, desejando experimentar o que a natureza lhe oferecia de mais belo, conhecer terras diferentes. Tendo apontado em Aracati e depois seguindo para outras cidades chegando e em uma magnífica tarde de primavera, o céu azulado do mês de setembro chegavam à margem de uma lagoa, quando o português viu-se diante do panorama que descortinava-se aos seus pés, ordenou que verificasse em que dia estava do mês de setembro e qual o Santo o Santo: Estavam no dia 29 de setembro, dia de São Miguel, daí Manoel de Carvalho com os olhos para o alto disse com calma e senidade: Que feliz achado. ‘”Estamos na Lagoa de São Miguel, aqui ficarei”, e realmente ficou, do dia 29 de setembro a 1803 quando faleceu, daí em diante, quem ficou a frente dos destinos de São Miguel foi seu filho: José Antonio de Carvalho. Em 11 de dezembro de 1876 conquistou sua independência política, desmembrado do município de Pau dos Ferros. Foi instalado em 15 de setembro de 1884, que teve como primeiro prefeito o Padre Cosme Leite da Silva. Com uma área de 186,6 km², equivalente a 0,35% sobre o Rio Grande do Norte. É sede de Comarca, Zona Eleitoral e de um Pelotão PM.

SÃO RAFAEL

SÃO RAFAEL
HISTÓRICO: SÃO RAFAEL, antiga Caiçara, foi fundado em 31 de maio de 1751, pelo Capitão João Francisco da Costa. Em 11 de outubro de 1911 foi celebrada a primeira missa na comunidade A povoação conquistou a categoria de vila em 31 de outubro de 1938, e se tornou independente através da Lei nº 146, de 23 de dezembro de 1948, desmembrado do de Santana dos Matos, e instalado em 1º de janeiro de 1959, que teve como primeiro prefeito o tenente da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, Genésio Cabral de Lima. Com 456 km², equivalente a 0,85 % sobre o Rio Grande do Norte. A nova São Rafael nasceu com o objetivo de resolver o problema de transferência de uma população que viu suas casas desaparecerem debaixo d’ água, através da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, inaugurada em 19 de maio de 1983, com 2 bilhões e 400 milhões de metros cúbicos d'água

SERA DO MELO

SERRA DO MEL
SERRA DO MEL - Foi fundado em 31 de março de 1975 pelo governador José Cortez Pereira de Araújo. O poder executivo de Serra do Mel nasceu, definitivamente, em 31 de janeiro de 1989, com a posse do primeiro prefeito constitucional do município recém criado, o filho do fundador da Serra do Mel, JOSÉ CORTEZ PEREIRA PEREIRA DE ARAÚJO (17/10/1924 – 21/02/2004, o CORTEZ JÚNIOR, eleito em 15 de novembro de 1988. Em 1º de outubro de 2000, o fundador, aos 77 anos de idade, foi eleito prefeito da Serra do Mel, com 2.231, votos, pela legenda do PTB, com uma maioria de 263 votos, para o 2º colocado, o prefeito Silvio Romero de Lucena, que disputava sua reeleição, pela legenda do PMDB, que obteve 1.968 votos; e 1974 do 3º colocado, o senhor Francisco Tarcísio Costa, que conquistou apenas 257 sufrágios, pela legenda do PSC. Ao tomar posse teve seu nome justamente reconhecido, pelo povo da Serra do Mel, que o elegeu prefeito da terra por ele fundada há 35 anos atrás, porém, talvez, devido sua idade avançada, o mesmo fez uma péssima administração, chegando a ser cassado. A independência Política da Vila de Serra do Mel aconteceu através da Lei nº 803, de 13 de maio de 1988, sancionada pelo então governador Geraldo Melo, teve suas terras desmembradas de Assu, Areia Branca, Carnaubais e Mossoró, com o Termo Judiciário, inicialmente, subordinado a Comarca de Assu e atualmente a de Mossoró, porém, a administração interina foi do prefeito Jerônimo Dix-huit Rosado Maia, do município de Mossoró, que administrou no período de maio de 1988 até 1º de janeiro de 1989, que passou para o senhor José Cortez Pereira de Araújo, eleito em 15 de novembro de 1988. A emancipação política do então complexo agrícola habitacional, na época composto de 22 agrovilas somente foi concretizada através da realização de um plebiscito realizado no dia 1º de maio de 1988, tendo 1.292 eleitores aptos a voto. Desse total 1.232 foram favoráveis à emancipação. Possui uma área territorial de 613,9 km², equivalente a 1.15% sobre o Rio Grande do Norte.

SEVERIANO MELO


SEVERIANO MELO
SEVERIANO MELO teve origem da propriedade denominada de BOM LUGAR, cujo dono era o senhor RAIMUNDO NONATO FERNANDES (13/6/1843 – 23/6/1922), localizada nas proximidades do riacho Malhada Vermelha, município de Apodi (Fundado em 12/2/1862), pelos irmãos Manoel Nogueira e João Nogueira, e criado em 23/03/1835, pela Lei Provincial nº 18/35), voltada para a atividade agropastoril. Era uma terra muito ligada, em seus seus primeiros dias de colonização. Com o decorrer dos anos, mas precisamente no dia 31 de julho de 1901, essa propriedade foi vendida aos cinco irmãos: SEVERIANO RÉGIS DE MELO (8/11/1871 – 26/1/1946), casado com Joana Maria Regis de Melo (17/4/1878 -1/5/1958), filha de Martiniano da Costa Melo e Francisca Régis Cavalcante de Melo; FRANCISCO RÉGIS DE MELO “CHICO MELO” (17/7/1858 – 31/10/1929,casado com Rita de 0liveira 926/1/1859 – 7-2/1927); VICENTE RÉGIS DE MELO (9/11/1977 – 14/10/1946), casado com Joana Régis de Melo; JOÃO RÉGIS DE MELO “JANJOCA” (13/7/1860 – 9/8/1946), casado com Izabel Régis de Melo e JOSÉ DA COSTA MELO “ZEZINHO MELO” (23/1/1864 – 15/8/1936, casado em primeiras núpcias com Claudina Apolônia Gomes e em segundas núpcias com Maria Régis de Melo.
PRIMEIRA CASA
No ano de 1911, Severiano Régis de Melo construiu em sua propriedade denominado de Bom Lugar, a primeira casa de alvenaria, inaugurada em 14 de setembro, cuja casa ainda hoje existente, situada na Rua Castelo Branco, nº 137, pertencente a viúva de João Severiano de Melo (16/10/1911 – 16/2/1996), dona Francisca de Freitas Melo (TIQUINHA), natural de Portalegre-RN, nascida a em 2/4/1925, filha de Florêncio de Freitas e de Adelaide de Paiva Freitas, nora de Severiano Melo, patriarca que deu nome a este município. EMANCIPAÇÃO POLÍTICA
No mesmo ano, ou seja, em 3/12/, a Vila de Bom Lugar ganhou à categoria de município, através da Lei nº 2.991/63, sancionada pelo então governador Aluízio Alves (31/1/1961 – 15/3/1966), desmembrado do de Itaú, com nova denominação de Severiano Melo, numa justa homenagem do povo severianense ao primeiro desbravador desta querida e amada terra, nascido em 8/11/1871 e falecido em 26/1/1946, pela sua persistência e seu idealismo o fez de Bom Lugar uma terra fértil e de homem fortes, o qual foi o fundador do então sítio Bom Lugar, atual cidade de Severiano Melo, encravado às margens do riacho Malhada Vermelha, município de Apodi.


TABULEIRO GRANDE, TENENTE ANANIAS E TIBAU

TABULEIRO GRANDE

TABULEIRO GRANDE
Tabuleiro Grande teve origem em 1897, de uma fazenda denominada de Tabuleiro Grande. Era uma enorme fazenda, pertencente ao sargento-Mor Bento Fernandes de Lima, adquirida através de uma concessão de terra chamada de “DATAS DOS MARCOS”, datada de 12 de agosto de 1733, que tinha muito gado solto por estas terras virgens e sem fim. Inicialmente habitada somente por indígina que cuidava das fazendas de criação de gado, posteriormente um herdeiro de Bento Fernandes unificou-as, transformando-se numa grande propriedade voltada para as atividades pastoris.

TENENTE ANANIAS

TENENTE ANANIAS
TENENTE ANANIAS, antigo Alto Grande, posteriormente Alto de Bom Jesus e Ipueira – Foi fundado em 29 de janeiro de 1944 pelo senhor João TEODORO DE Oliveira, ao construir a primeira casa no lugar denominado de Alto Grande, ainda hoje existente, situada na Rua José Moreira do Nascimento, Nº 420, ao lado da Farmácia do saudoso Rossi. No dia 7 de janeiro de 1946 foi celebrada a primeira missa na comunidade pelo Padre Carlos Theisen. A povoação ganhou a condição de Vila em 18 de novembro de 1953.Em 2 de março de 1954 foi instalado o termo Judiciário da Vila de Ipueira.Através da Lei nº 2.786, de 10 de maio de 1962 a Vila de Ipueira conquistou sua independência Política, desmembrando-se do município de Alexandria e foi instalado em 3 de fevereiro de 1963 o governo estadual nomeou Alfredo Gomes da Silveira, este filho do patrono da cidade, nascido a 14 de dezembro de 1928 e falecido em 2007, portanto, este foi a primeira pessoa nomeado para administrar o município recém criado de Tenente Ananias, porém, não tomou posse, tendo em vista ser o mesmo irmão do vice-prefeito de Alexandria Areamiro Gomes da Silva. Em 31 de janeiro de 1963 o então governador Aluízio Alves designou a segunda pessoa, dessa vez na pessoa de Hipólito Alves da Silva (13/08/1919 – 2007), que tomou posse em 10 de fevereiro de 1963.
TIBAU
TIBAU
TIBAU – Foi em 26 de fevereiro de 1641, pelo navegador holandês Gildeon Morris de Jorte. A povoação conquistou a condição de Vila em 23 de outubro de 1948. O Poder Executivo de Tibau começou a ser desenhado em 19 de setembro de 1995 com a realização de um plebiscito, realizado no dia 10 de setembro de 1995, com a população dizendo sim para a emancipação política da Vila criada em 23 de dezembro de 1948, através da Lei nº 146/48, cujo plebiscito forçou a Assembléia Legislativa a decretar a Lei nº 6.840, decretada pelo então governador Garibaldi Alves Filho em 21 de novembro de 1995, desmembrado do de Grossos, com uma área de 166,9 km² equivalente a 0,31 % sobre o Rio Grande do Norte que teve como primeiro prefeito o senhor Sidronio Freire da Silva, eleito em 3 de outubro de 1996 e instalou o município de Tibau no dia 1º de janeiro de 1997.

TRIUNFO POTIGUAR


TRIUNFO POTIGUAR
TRIUNFO POTIGUAR, antigo Tapera, fundado em 27 de agosto de 1890, por Felipe Néri de Brito Guerra, a povoação de Triunfo Potiguar ganhou a categoria de Vila em 12 de agosto de 1963, foi instalado em 1º de janeiro de 1996, quando nessa data tomou posse o primeiro prefeito do novo município, senhor LIFRAN MEDEIROS, juntamente com seu vice-prefeito, o senhor Antonio Balbino da Silva Leite, eleitos nas eleições municipais de 3 de outubro de 1996, 1.750 eleitores estavam aptos a votarem e teve um fato inusitado: pai e filho foram adversários e fizeram uma campanha com um clima de acirramento durante o período de cata ao voto. Com uma área de 274,2 km², equivalente a 0,51 % sobre o Rio Grande do Norte, encontra-se encravado na Microrregião do Médio oeste Potiguar.

UMARIZAL

UMARIZAL
UMARIZAL, antigo Divinópolis e posteriormente Gavião, fundado em 3 de junho de 1828 Em 10 de março de 1928 a comunidade de Gavião, município de Martins ganhou uma agência dos Correio e em 30 de dezembro de 1943 passou a condição de Vila. Em 27 de novembro de 1958 conquistou sua independência política, desmembrado do município de Martins, através da lei nº 2.312, que foi instalado em 12 de fevereiro de 1959, que teve como primeiro prefeito o senhor Raul Alencar Filho. Com 216,5 km², equivalente a 0,40 % sobre o Rio Grande do Norte

UPANEMA

UPANEMA
UPANEMA, antigo Curral da Várzea e posteriormente Conceição de Upanema, foi fundado em 12 de maio de 1867 pele padre Adelino de Brito. A comunidade passou a condição de vila em 31 de dezembro de 1938 e de município em 16 de setembro de 1953 e foi instalado em 01 de janeiro de 1954 que teve como primeiro prefeito, o Capitão da Polícia Militar José Gomes de Souza Bastos. Com 851 km², equivalente a 1,59% sobre o Rio Grande do Norte, encontra-se localizado na microrregião do Médio Oeste.

VENHA VER

VENHA VER

VENHA VER
VENHA VER , antigo BOM LUGAR, posteriormente PADRE COSME, foi fundado em 22 de setembro de 1980, pelo padre Cosme Leite da Silva. A povoação de Padre Cosme conquistou a condição de vila 12 de agosto de 1962 e através da Lei nº 6302, de 26 de junho de 1992 conquistou sua independência política, desmembrando-se do município de SÃO MIGUEL, o qual foi instalado no dia 1º de janeiro de 1997, que teve como primeiro prefeito o senhor EXPEDITO SALVIANO, atual prefeito, eleito em 3 de outubro de 1996, reeleito em 1º de outubro de 2000, e em 5 de outubro de 2008 foi eleito para o terceiro mandato. Com 78,3 km², equivalente a 0,14% sobre o Rio Grande do Norte

VIÇOSA

VIÇOSA
VIÇOSA, antigo Serrote da Forquilha, foi fundado em vila em 1953, município em 28 de dezembro de 1963, instalado em 1º de fevereiro de 1964, que teve como primeiro prefeito o senhor SILVESTRE PINTO, que instalou o novo município no dia 01 de fevereiro de 1964. Com 39,1 km², equivalente a 0,07% sobre o Rio Grande do Norte.

PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS
O RN PASSA POR AQUI! - COM 20 BLOGS E 1780 LINKS

PRIMEIRO NÚMERO DE O MOSSOROENSE

PRIMEIRO NÚMERO DE O MOSSOROENSE
XVI-X-MDCCCLXXII

Minha lista de blogs